Masatoshi Nakayama

Outubro 25, 2006

nakayama2.jpg 

Masatoshi Nakayama  nasceu em 6 de Abril de 1913, em Kanazawa, Japão. Oriundo de uma família de samurais e de instrutores de Kendo, desde cedo se interessou pela prática do Kendo e do Judo.Como, na infância foi educado na China, desenvolveu um grande interesse pela cultura deste país, visitando-o diversas vezes. Daí a inscrição na universidade de Takushoku, que na altura formava quadros para o trabalho no estrangeiro.Em 1932, no início dos seus estudos, resolveu retomar os treinos de Kendo, mas enganando-se no horário apresentou-se no dojo, quando a aula de Karate estava a decorrer. Ficou de tal maneira entusiasmado, que foi convidado a voltar noutro dia para treinar.Os treinos decorriam sob a direcção de Mestre Gigin Funakoshi e eram esgotantes, consistiam em 50 a 60 repetições da mesma Kata e treino de makiwara. Aproximadamente só 10 % dos estudantes continuavam mais de 6 meses.Para além das 5 horas diárias de aprendizagem das técnicas de Karate, formou-se em cultura e língua chinesa.Em 1937, ao abrigo de um programa de intercâmbio, foi estudar para a Universidade de Pequim, e trabalhar para o governo chinês. Aí continuou a treinar e a ensinar Karate e a estudar diversas artes marciais chinesas. Anos mais tarde convida o Mestre chinês Yang Ming Shi para ensinar Tai Chi Chuan no Hombu Dojo da JKA.Como se encontrava ausente, não participou na criação do primeiro dojo “Shotokan” e salvou-se dos horrores da 2º Guerra Mundial. Quando regressou ao seu país, finda a guerra, muitos dos seus colegas do Karate tinham morrido, e até o dojo tinha sido destruído num bombardeamento.Com o levantamento da proibição da prática do Karate, pelas autoridades militares americanas, começa com outros alunos de Funakoshi a trabalhar na reorganização do karate.Em 1947, torna-se Instrutor Chefe da secção de Karate da Universidade de Takushoku, passando mais tarde a ser o director de toda a parte de educação física da Universidade.Toma parte na fundação da JKA, e toma a seu cargo a elaboração dos programas técnicos. Mais tarde, assume o cargo de Instrutor Chefe da Japan Karate Association.Em 1965, publica o livro Dynamic Karate a bíblia do Karate Shotokan e mais tarde a série de 11 livros Best Karate.Morre em 14 de Abril de 1987, com a idade de 74 anos, deixando a JKA como a maior organização de Karate do mundo.

Anúncios

Os 20 preceitos de Gichin Funakoshi

Outubro 10, 2006
  1. O Karate começa e acaba com cortesia.
  2. Não existe primeiro ataque no Karate.
  3. Karate é uma ajuda para a justiça.
  4. Primeiro controla-te a ti, e só depois tenta controlar o outro.
  5. Primeiro espirito e só depois técnica.
  6. Mantém um espirito aberto.
  7. Os acidentes acontecem por negligência.
  8. O treino de Karate não se efectua só no dojo.
  9. Leva toda a vida a aprendizagem do Karate.
  10. Coloca toda a experiência do dia a dia na prática do Karate.
  11. Karate é como água a ferver, se não a aquecer-mos continuamente ela esfria.
  12. Não penses em ter que ganhar, pensa antes em não ter que perder.
  13.  A victória depende da habilidade que temos em distinguir as vulnerabilidades, naqueles que pensam que são invulneráveis.
  14. Devemos movermo-nos de acordo com o nosso adversário.
  15. Pensa nas mãos e nos pés como armas.
  16. Quando sais de casa pensa que tens numerosos adversários à tua espera. É o teu comportamento que poderá levar ao conflito.
  17. Os iniciados devem manter posições baixas, posições naturais só para os mais avançados.
  18. Praticar uma Kata é uma coisa, entrar-mos num combate real é outra.
  19. Não te esqueças de aplicar correctamente : força e suavidade ; contracção e descontracção ; rapidez e lentidão.
  20. Tenta cumprir estes preceitos todos os dias.

Razões para o prestígio de Gichin Funakoshi

Outubro 9, 2006

Gigin Funakoshi foi merecidamente o mais conhecido Mestre de Okinawa, a par de Kenwa Mabuni – Shito Ryu e Chojun Miyagi – Goju Ryu.  As razões para tal sucesso são várias : 

Nível técnico e pedagógico – Era claramente um dos mais prestigiados Mestres do Karate de Okinawa e aliava esta qualidade, aos seus excelentes métodos pedagógicos, o que não é de estranhar já que era um conhecido professor primário. 

Conhecimento da língua japonesa – O conhecimento da língua japonesa é decisivo para o ensino e expansão do Karate no Japão, bem como para a publicação dos primeiros livros. 

Rede de conhecimentos – Este factor muito minimizado é de extrema importância para compreender o sucesso que o Karate de Gichin Funakoshi veio a ter no Japão. Foram estes conhecimentos que lhe facilitaram os meios para a propagação do Karate na aristocracia do Japão e nas suas universidades. Sem esses conhecimentos a sua tarefa teria sido muito complicada e só muito dificilmente o seu estilo de Karate, atingiria o sucesso que hoje goza em todo mundo.  Foi pois a mistura de todos estes factores que colocaram Funakoshi num plano muito mais elevado que os seus contemporâneos. Importa no entanto não esquecer, todos os outros que ficaram na penumbra e que raras vezes saíram do circulo restrito da ilha de Okinawa.


Obras de Gichin Funakoshi

Outubro 6, 2006

Ryukyu Kempo Tode, 1922

Foi considerado o primeiro livro de Karate. A maioria das páginas são dedicadas a Katas, incluindo também uma breve resenha histórica da origem do Karate em Okinawa.Não tem fotografias mas sim desenhos da autoria de Hoan Kosugi, o futuro criador da imagem de marca do Karate Shotokan, o Tigre.  

Rentam Goshin Tode Jutsu, 1925 

Este volume é  considerado uma nova versão do primeiro, o conteúdo técnico é igual, inclui 15 Katas com descrições detalhadas dos movimentos. A maior diferença foi a substituição dos desenhos por fotografias. 

Karate-Do Kyohan, 1935

È considerada a obra prima de Funakoshi. Hoan Kosugi considera este livro o Tora No Maki do Karate de Funakoshi, isto é o seu livro de referência.Nele observamos já uma certa evolução em relação aos anteriores, notando-se algumas alterações no aspecto técnico.Como novidade são incluídas cerca de 80 páginas de Kumite e Defesa Pessoal. 

Karate Nyumon, 1943

Incluí alguns capítulos sobre a história do Karate, e dados biográficos sobre os seus Mestres, Itosu e Azato.São descritas a Ten No Kata e a Ten No Kata Ura. 

Karate-Do Kyohan, 1958

Nesta versão são incluídas pela primeira vez as Katas Taikyoku, bem como técnicas de pernas, a nível jodan, algo nunca visto no Karate de Okinawa. Em termos de Kumite é exemplificado o Ippon-Kumite. 

Karate-Do, My Way of Life

Estamos perante uma obra autobiográfica que engloba a sua infância, o inicio da prática do Karate com Anko Azato, até ao inicio do Karate no Japão.


Gichin Funakoshi

Outubro 6, 2006

funakoshi4_small.gif 

A história de Gigin Funakoshi confunde-se com a história do próprio Karate, daí a ele ser chamado o “Pai do Karate Moderno”. Nasceu em Shuri em 1868, filho único, tendo sido criado em casa dos avós, onde foi educado e aprendeu poesia clássica chinesa.Na escola primária tinha como colega e amigo um dos filhos de Yasutsune Azato, um dos maiores mestres do Shuri-Te, o Karate de Okinawa.Daí até começar a receber as primeiras lições foi um passo.Nessa altura a prática de artes marciais era proibida e daí as actividades serem feitas á noite, no quintal da casa de Mestre Azato. O treino era muito rigoroso e tinha como filosofia o “Hito Kata San Nen” ou seja, uma kata para três anos. Durante os treinos, também aparecia para os observar e ensinar outro Mestre, Yasutsune Itosu.Estes treinos obedeciam a uma rotina dura e rígida e contribuíram após vários anos de prática para fortalecer a saúde de Funakoshi, que fora uma criança frágil e doente.

Em 1888 com 21 anos, inscreveu-se e foi aceite como professor de uma escola primária, aproveitando a cultura adquirida desde a infância, com os seus avós, que lhe ensinaram os clássicos chineses.

Em 1902, aproveitando a visita do inspector escolar da prefeitura de Kagoshima, Shintaro Ogawa, à escola de Funakoshi, foi realizada uma demonstração de Karate. Ogawa ficou bastante impressionado com as qualidades pedagógicas de Funakoshi e escreveu um relatório bastante favorável às virtudes da prática do Karate. Este embora praticado à porta fechada já tinha deixado de ser secreto.Foi, pois a partir daqui que a sua prática foi oficialmente autorizada nas escolas.Contra a opinião de muitos dos mestres mais antigos de Okinawa, que eram contra a divulgação da arte, Funakoshi apoiou Itosu, na introdução do Karate no sistema de ensino público, ensinando Katas como parte das aulas de educação física.Para esse propósito, Itosu criou um novo grupo de katas, de fácil aprendizagem as Pinans (Heians). Foi nessa altura que também o Judo e o Kendo, fizeram a sua entrada no sistema de ensino.Anos mais tarde, Funakoshi e alguns dos seus alunos fizeram uma demonstração de Katas perante o Almirante Rokuro Yashiro. Enquanto Funakoshi comentava, os seus alunos iam efectuando os movimentos. Mais uma vez, Funakoshi impressionou os seus espectadores com a maneira como ensinava, dando especial importância à formação do caracter e autodisciplina. Após a demonstração o almirante pediu aos seus homens para começarem a aprender a arte.Em 1912, outro almirante, de passagem em Okinawa, mandou alguns subordinados seus, aprender Karate durante algum tempo.Foi, pois graças a estes dois oficiais da marinha que o Karate começou a ser comentado em Tóquio.Durante os anos de 1914/15 um grupo que incluía Mabuni, Motobu, Kyan, Gusukuma, Ogusuku, Tokumura, Ishikawa, Yahiku e Funakoshi realizaram muitas demonstrações em Okinawa.

Em 1916, na continuação da promoção do Karate, foi convidado como representante da prefeitura de Okinawa para fazer uma demonstração no Butoku-Den em Kyoto. Foi esta a primeira vez que o Karate, depois de tanto tempo em segredo, foi mostrado fora de Okinawa.Em 1921, o príncipe herdeiro Hirohito, em viagem para a Europa, faz escala em Okinawa e assiste a nova demonstração de Karate, liderada por Funakoshi. Nessa demonstração, ele executa a sua kata preferida, Kushanku (Kanku). No final desse ano, recebe o convite para fazer uma demonstração em Tóquio integrada num festival atlético a realizar de 30 de Abril a 30 de Maio de 1922. Funakoshi aceitou imediatamente, vendo uma boa oportunidade de divulgação do Karate.A demonstração foi um tal êxito, que Funakoshi foi rodeado de pedidos para ficar no Japão a ensinar Karate. Um dos principais entusiastas para a sua continuação em Tóquio foi Jigoro Kano, o fundador do Judo e presidente do Instituto Kodokan. Kano era provavelmente o mais famoso e conceituado praticante de artes marciais do Japão, para além de educador era uma figura muito respeitada no nascente movimento olímpico. Funakoshi decidiu ficar mais algum tempo, de modo a fazer mais algumas demonstrações no próprio Kodokan. Em 4 de Junho, Funakoshi, assistido por Shinkin Gima, um estudante de Okinawa que tinha estudado Karate com Kentsu Yabu, fizeram a demonstração no Kodokan. Esperavam uma pequena audiência, mas foram surpreendidos com mais de 200 Espectadores. Funakoshi demonstrou a Kushanku (Kanku) e Gima a Naihanchi (Tekki) e juntos executaram aplicações das Katas.Por esta altura já tinha percebido se queria que o Karate se espalha-se pelo Japão, teria que ser ele a fazê-lo. Resolveu ficar em Tóquio até que a sua missão estivesse cumprida.Funakoshi tornou-se um grande amigo de Jigoro Kano, e foi com a ajuda deste que conseguiu que o Karate se espalha-se pelo Japão. Kano apresentou-o às pessoas certas da elite social japonesa.O primeiro dojo de Karate foi criado num dormitório para estudantes de Okinawa. Aí para além de ensinar Karate, trabalhava como jardineiro, porteiro e encarregado da limpeza de modo a assegurar o seu sustento.Em 1922, a pedido do pintor Hoan Kosugi, que entretanto tinha começado a praticar Karate, publicou o seu primeiro livro “RyuKyu Kenpo Karate”. Entre os seus primeiros alunos japoneses incluíam-se Hironori Ohtsuka o futuro criador do Wado-Ryu, Isao Obata e Masatomo Takagi.Os treinos eram baseados em Katas, só em 1925, é que o combate – Kumite, foi introduzido.A expansão nas universidades iniciou-se na de Keio com Obata em1923 e na de Tóquio com Ohtsuka em 1926.Esta expansão obrigou Funakoshi, a reformular a sua arte, como forma de atrair mais pessoas. Em 1936, mudou os caracteres utilizados para escrever a palavra Karate. O termo “Kara” significava China, e “Te” Mão. Para aderir ao gosto japonês mudou o caracter “Kara” para vazio. Assim o significado de Karate, passou de “Mãos Chinesas”, para “Mãos Vazias”, isto é, houve um afastamento do Karate das suas raízes chinesas, numa época de forte nacionalismo japonês.  Ao mesmo tempo iniciou um trabalho de revisão e simplificação que passou também pelos nomes das Katas.Em 1938, a exemplo do Judo, instituiu o sistema de graduações, baseado nos Dan e Kyu.Em 1939, tinha Funakoshi 71 anos, é aberto o Shotokan Dojo, construído à custa de donativos particulares.Com o início do 2º Guerra Mundial, e a participação do Japão, a grande maioria dos praticantes de Karate foi alistada. Funakoshi e a esposa, que entretanto tinha abandonado Okinawa, retiram-se para Kyushu no sul do Japão, lá ficando até 1947.Só nesta data, após a morte da esposa, é que Sensei Funakoshi retorna a Tóquio, à procura dos seus antigos alunos. Finda a guerra todas as Artes Marciais foram completamente banidas. A proibição da sua prática é completamente levantada, em 1948.Com o início da prática, começam as tentativas de reorganização dos clubes privados e universitários, em direcção a uma única organização. Sensei Gichin Funakoshi morreu em 26 de Abril de 1957, deixando atrás de si a génese do Karate Shotokan.